Clima tenso no Governo: exonerados continuam trabalhando sem garantia de que serão recontratados

Porto Velho, Rondônia –  Cerca de seis mil servidores ocupantes de cargos comissionados, que foram exonerados pelo governador Confúcio Moura (PMDB), em ato publicado no diário oficial, com validade a partir do dia 31 deste mês, estão enfrentando dias de tensão e de insegurança.

É verdade que nem todos ficarão desempregados, mas o fato e que para se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, o Governo precisa diminuir o número de comissionados. Quem ficar, ainda terá uma redução nos valores dos CDS, para quem ganha acima do símbolo 15, de acordo com a reforma administrativa.

A degola de Confúcio atingiu de simples motoristas até secretários estaduais, superintendentes, diretores-gerais, e presidentes de autarquias da administração direta e indireta.

Com isso, o clima azedou e e a correria nas secretarias estaduais chama a atenção. Cada um procura se encostar em algum influente do Governo, para tentar que seu nome seja incluído na lista dos que serão readmitidos. Há uma peregrinação a gabinetes de secretários até de deputados estaduais.

Sem esses cortes, o Governo não iria conseguir quitar os salários e o décimo terceiro dos servidores. A crise financeira, embora rebatida por setores da administração estadual, tem gerado instabilidade e agora ameaçaria o pagamento de salários. Sem dinheiro, o Governo estaria em dificuldades para manter a máquina funcionando.

Para reduzir gastos, o Estado já baixou decreto diminuindo as despesas correntes com diárias e até combustível da frota oficial.

Clique no link abaixo e confira as exonerações:

http://www.diof.ro.gov.br/data/uploads/2013/10/doe_16_10_2013.pdf

fonte: SINTEC-RO

 

Publicado em Notícias gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *