CONCURSO PÚBLICO: UM DIREITO DE TODOS AMEAÇADO PELO CLIENTELISMO IMORAL

Ninguém lembra, mas na época do império e início da República, quase todos os cargos públicos eram preenchidos por amigos e parentes de políticos, nobres, pessoas ricas, juízes. A maior qualidade de alguém era ter tido a sorte de pertencer a uma família influente, e por essa relação e dependência, aqueles que eram empregados deviam lealdade a seus bem feitores e isso fez muito mal à sociedade. Com o advento do concurso público (forma mais justa e democrática de se ingressar no serviço público) foi possível a todo e qualquer brasileiro de qualquer classe social ingressar por seus próprios méritos, mas que agora, tragicamente, sofreu seu maior baque: a terceirização irrestrita no serviço público.
Agora, empresas terceirizadas fortemente ligadas a políticos, não tenham dúvidas, preencherão as vagas em cargos públicos, extinguindo o concurso público praticamente e fazendo voltar com toda força a prática do clientelismo e suas promiscuidades.
Já temos uma massa de cargos exclusivamente comissionados (indicados por políticos) que somados aos terceirizados serão um verdadeiro exército de cabos eleitorais em todo o Brasil. Funções como a de professor e as da área médica serão brutalmente atingidas. Além da média salarial destes cargos despencar, ainda teremos um grande número de súditos para fazerem campanha nas próximas eleições. Tudo isso tornará ainda mais desestimulante o interesse pelo SERVIÇO PÚBLICO e colocará interesses escusos à frente do interesse público.
Tivemos o corte federal nas verbas da saúde e educação, e agora por causa da terceirização uma fuga de bons profissionais do serviço público deve ocorrer. Os servidores terceirizados não têm estabilidade nenhuma, sem qualquer chance de resistir a uma ordem ilegal ou imoral ou de reivindicar melhores salários, pois do contrário estarão demitidos. Mais uma vez, os mais humildes pagarão um alto preço e os desonestos terão mais uma ferramenta de se perpetuarem no PODER.
“EM MUITOS PAÍSES TERCEIRIZAÇÃO É CRIME, MAS O BRASIL GOSTA DE TUDO QUE É ERRADO”

(*por Emílio Márcio de Albuquerque -Diretor do SINTEC /RO)

Publicado em Notícias gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *