IPERON acumula rombo de R$ 7 bilhões e pode ficar inviabilizado

Arroz de terceira

O Instituto de Previdência do Estado de Rondônia – IPERON – está quebrado e com um débito, sem correções, de R$ 7 bilhões. Se forem aplicados juros e outras perdas, a conta passa de R$ 20 bilhões e o Estado não tem como pagar. Exemplificando de forma, digamos, criativa, o IPERON está na ante-sala da UTI, respirando com aparelhos e quase em coma. Os técnicos do governo não sabem o que fazer e praticamente todos os dias novos servidores passam a integrar a folha de inativos, que cresce proporcionalmente ao rombo do IPERON.

Consequencia 

Do rombo do IPERON é que o Estado fica inadimplente e corre o risco inclusive de perder repasses constitucionais. Além disso, os inativos vão começar a sofrer atrasos em seus pagamentos. O rombo ocorre porque o governo vem deixando de recolher ao instituto, valores que são descontados nos salários dos servidores. A informação partiu de fontes confiáveis e o governo não consegue encontrar uma saída. 

Tem mais 

O Estado registrou uma queda na arrecadação de quase R$ 800 milhões, deixando os técnicos da SEFIN com um abacaxi para explicar a projeção que era a mais e fechou a menos. Com isso, a máquina administrativa está emperrada e a economia estagnada. Há tempos vínhamos alertando para o descontrole das contas e agora a coisa está apertando. Os fatores responsáveis por essa queda foram a falta de fiscalização na entrada do Estado e a internação de mercadorias na zona de livre comércio de Guajará-Mirim, também sem nenhum controle. Outro ponto fundamental foi a extinção de políticas de incentivo ao setor produtivo, que inviabilizaram a economia. E não se enganem, a coisa vai piorar.

fonte: SINTEC-RO

 

 

Publicado em Notícias gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *