Recadastramento humanizado – mais que o dever

O cumprimento de uma exigência legal acabou se tornando, dentro do Tribunal de Contas da União (TCU), um momento de descontração, entretenimento e interação para os mais de 850 aposentados e pensionistas que se recadastram em Brasília. Desde 2011, o TCU adotou o recadastramento humanizado e conseguiu fugir do simples ato burocrático, unindo responsabilidade com solidariedade.

A mudança de tratamento começa a ser percebida pelo próprio material de convocação que é encaminhado para a casa dos recadastrandos. Nada daquelas cartas formais e tradicionais de chamamento. O servidor recebe um livreto colorido, interativo e extremamente amigável. Nele, é infor­mado sobre as exigências legais do processo de uma maneira leve e acessível. Não precisa recorrer à leitura de normativos densos e cansativos. Todas as informações estão dispostas de forma simples e didática.

Este ano, além do livreto de convocação, o servidor re­cebeu um segundo livreto, contendo o cronograma de eventos preparados para o período. No TCU, ao vir se recadastrar, o servidor pode fazer maquiagem, massoterapia, alongamento, terapia crânio-sacral, testes de saúde os mais diversos (medição de pressão ocular, aferição de pressão, teste de bioimpedância, teste de hepatite C etc.). Também pode assistir às mais varia­das palestras (proferidas por psicólogos, geriatras, terapeutas, médicos, dentistas, nutricionistas, sexólogos), participar de oficinas (de bijuteria, de scrapbook, de informática, de dança circular), fazer exercícios de equilíbrio, flexibilidade, coorde­nação, memória, respiração, percepção corporal, automassa­gem, participar de saraus literários, tirar fotografias no estúdio fotográfico, além de assistir a diversas apresentações artísticas (musicais, teatrais, de dança). Por fim, foi aberto espaço para que o servidor aposentado e o pensionista mostrassem seus talentos, declamando, cantando, dançando. O recadastramento humanizado é uma forma de valorização do servidor que tanto já fez pela Casa.

Todas as atividades são patrocinados pela Asap-TCU, pelo Sindilegis e pelo Sicoob Legislativo, com apoio da ASTCU.

Além do foco no lado humano do recadastramento, intensificou-se a preocupação com a prevenção de fraudes. Um novo aplicativo foi desenvolvido com vistas a dar maior segurança ao processo. A portaria que dispõe sobre a atualização cadastral de servidores aposentados e pensionistas de servidores no âmbito do TCU também passou por importantes alterações.

Recadastramento humanizado é servidor aposentado valorizado.

fonte: TCU – TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

Publicado em Notícias gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *